O que tornou os EUA ricos?

O que os EUA do século XIX tinham que a imensa maioria dos outros países do mundo não tinha:

1) Alta taxa de acúmulo de capital físico.

O estoque de capital físico cresceu a uma taxa média de impressionantes 5,5% ao ano nos EUA entre 1870 e 1913. Para efeito de comparação, no mesmo período o estoque de capital físico no Reino Unido crescia a uma taxa mais de 3x menor. Este crescimento pode ser explicado pela alta taxa de poupança doméstica e investimento.

2) Baixa taxa de analfabetismo.

Os EUA, ainda na época das treze colônias, já tinham uma taxa de analfabetismo muito mais baixa que a maioria dos países europeus. No meio do século XIX eles adotaram um sistema público de ensino, o que ajudou a consolidar excelentes níveis de educação até mesmo considerando os ex-escravos. Chegaram em 1900 com 90% de alfabetizados. Pra efeito de comparação, o Brasil só veio conseguir isso agora, em 2010.

3) Uma institucionalidade democrática e estável, com boas garantias de propriedade e contratos.

A revolução americana foi a primeira grande revolução republicana de cunho liberal da história. De lá pra cá, a institucionalidade dos EUA evoluiu de forma relativamente tranquila. Esse desenho institucional foi bastante competente em blindar a sociedade civil do poder arbitrário do estado. Enquanto que em vários lugares do mundo a forma mais fácil de prosperar era tendo boas conexões políticas (especialmente na América Latina), nos EUA basicamente só dava pra fazer isso produzindo e inovando. São o que os economistas chamam de instituições extrativistas (caso latino) e inclusivas (caso americano). As boas garantias de propriedade asseguravam que os lucros seriam seus, mas os prejuízos também.

O que os EUA do século XIX tinham que vários países também tinham:

4) Altas tarifas de proteção comercial.

Os americanos tiveram altas tarifas de proteção, especialmente na segunda metade do século XIX. Mas como mostra o livro “The Cambridge Economic History of The United States”, no mesmo período vários outros países latino-americanos tinham um grau de proteção ainda maior. Além disso, um dos pilares do mercantilismo, que vigorou na Europa desde o fim da Idade Média até o meio do século XIX, era justamente as tarifas. Este não foi um elemento único da economia americana. Pelo contrário: foi a prática mainstream no Ocidente durante 400 anos.

Fica agora o questionamento:

Quais destes fatores você acha que causaram o desenvolvimento americano?

Ainda é bom lembrar que existe uma fundamentação microeconômica clara que liga os três primeiros pontos à produtividade (capital físico, humano e institucionalidade), enquanto que até hoje não foi possível estabelecer o mesmo tipo relação causal a qualquer medida protecionista.

Qual explicação parece mais plausível, verossímil e parcimoniosa pra você?

——————————-

Evolução do estoque de capital.

Analfabetismo no mundo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não ficará público