Você está preparado para viver em um mundo em que a Índia cresce mais que a China?

Desde 2014, a Índia cresce mais do que a China. Segundo as projeções do FMI, a diferença entre as taxas de crescimento de ambos os países irá aumentar nos próximos anos. A Índia hoje tem, na verdade, o maior crescimento potencial da Ásia. Os motivos para esta mudança são vários. Podemos citar os mais relevantes:

1) Demografia

A população em idade de trabalhar parou de crescer na China, e em breve começará a encolher. Na Índia ela cresce 1,3% ao ano. O fator mão-de-obra é um dos insumos de produção, então esta diferença importa.

2) Razão capital/produto

Dada a alta taxa de poupança e investimento nas últimas décadas, a China hoje possui um estoque de capital substancialmente grande em relação ao próprio PIB. Isso pode ser entendido pela lei dos rendimentos marginais decrescentes: um aumento de x% no estoque de capital gera, tudo mais constante, um aumento menor que x% na produção. Por isso, na medida em que investe, a tendência é que o estoque de capital de um país cresça como proporção do seu PIB. Como o capital se deprecia a uma taxa aproximadamente constante, quanto maior a razão capital/produto, maior a necessidade de investimento para manter o capital instalado, implicando também em uma maior necessidade de investimento para expandir a capacidade. Segundo nossas estimativas, usando o método do estoque perpétuo e uma taxa de depreciação de 5% para ambos os países, esta relação seria 2,8 para a Índia e 3,4 para a China. Por esta razão, a mesma taxa de investimento tende a gerar mais crescimento na Índia do que na China.

3) Catching-up institucional e tecnológico

Os exercícios de contabilidade do crescimento feitos por nós sugerem que produtividade dos fatores tem crescido mais rapidamente na Índia do que na China. Isso já era esperado, uma vez que a Índia está mais atrasada que a China em relação à fronteira tecnológica mundial, os EUA. A Índia ainda tem uma parcela expressiva da população vivendo praticamente em situação de subsistência, cuja incorporação aos setores modernos da economia por si só faz uma enorme diferença. Além disso, o país passou por uma brutal abertura comercial desde os anos 90, que se intensificou na década passada; e apesar das deficiências institucionais, tem melhorado consistentemente suas posições no ambiente de negócios. A tendência é que a Índia convirja aos poucos, em nível de eficiência, para o patamar verificado nas economias mais avançadas.

A China puxou, durante muito tempo, a queda da pobreza no mundo. Hoje esta liderança está nas mãos da Índia. Milhões e milhões de indianos podem passar a sonhar com uma vida melhor todos os anos. Esta é, sem dúvida, a melhor parte do processo de crescimento econômico: ele transforma vidas.

Você pode monitorar a pobreza em tempo real aqui (preste atenção nos indianos).

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não ficará público