Querer “adicionar valor” em todas as cadeias produtivas não faz sentido econômico

EUA exportam algodão cru para o Vietnã e importam têxteis. Obviamente esse é um padrão de comércio que explora os EUA em favor do Vietnã, certo? Errado.

A ideia de que “adicionar valor” a um insumo antes de exportá-lo é sempre vantajoso não tem qualquer razão econômica de ser, e por um simples motivo: ignora o conceito de custo de oportunidade.

O nosso exemplo é extremamente ilustrativo para explicar do que se trata custo de oportunidade. Os EUA, sendo o maior exportador líquido de algodão cru do planeta, poderiam tranquilamente atender à toda demanda têxtil interna caso quisessem.

O problema é que para passar a produzir a roupa hoje importada, o país vai ter que deslocar capital e trabalho de outras atividades para o setor têxtil. Ao “adicionar valor” nessa cadeia, eles vão deixar de adicionar valor em outras. O saldo seria positivo? Os sinais econômicos indicam que não.

A indústria têxtil é relativamente intensiva em trabalho, fazendo com que os salários sejam um pedaço importante dos custos de produção. Os salários, por sua vez, refletem a produtividade marginal do trabalho em uma economia, isto é, o quanto cada trabalhador adicional acrescenta de valor adicionado, em média.

Nos EUA, por causa dos salários altos, é extremamente caro produzir roupa. Por isso costuma ser muito mais vantajoso importar do que produzir. A informação econômica que essa situação passa é a seguinte: não compensa para os EUA retirar trabalhadores de outras atividades, cuja produtividade marginal é expressa pelos salários, para produzir roupa. O país ficaria mais pobre.

Via de regra, o que sinaliza ser vantajoso ter ou não uma firma ou setor é o lucro. Se uma indústria pode produzir pagando os custos de oportunidade do trabalho (salários) e do capital (juros) de uma economia, ela será tanto mais produtiva que a média, puxando a produtividade pra cima, como também lucrativa.

Regras básicas e exceções:

1) Se for vantajoso para um país ter um setor, esse setor será lucrativo.

  • Exceção: externalidades positivas, problemas de coordenação.

2) Se existe um setor lucrativo em potencial, ele atrairá investimentos.

  • Exceção: imperfeições no mercado de crédito.

No caso das exceções, pode caber uma política pública de estímulo ou proteção. Mas isso precisa ser bem quantificado e implementado. A ideia de que desenvolver uma cadeia produtiva será sempre vantajoso, porém, não faz muito sentido econômico.

Leia também: O que são as vantangens comparativas?

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não ficará público