Entenda o que são os excedentes do mercado

Nesse texto, faremos uma breve explicação sobre o conceito de excedentes e sobre como eles podem ser uma interessante ferramenta para medir o bem-estar produzido por um mercado. Além disso, demonstraremos como os choques de oferta e demanda os afetam.

Inicialmente, para compreender o conceito de excedentes, é interessante que entendamos o significado das curvas de oferta e demanda. Para isso, peço licença aos experts que nos leem para algumas simplificações didáticas que auxiliarão os não iniciados a internalizarem a ideia.

Basicamente, a curva de oferta e de demanda (representadas nas figuras abaixo pelas linhas azul e vermelha, respectivamente) representam os limites dos valores tolerados pelo grupo de pessoas que as formam. A natureza desses limites depende de que lado do mercado que você está.

Se você é um vendedor, tanto estará em melhor situação quanto maior for o preço que você conseguir vender seu produto ou serviço. Assim sendo, a curva de oferta reflete o limite inferior (ou o piso, se você preferir) que você pode vender cada unidade de seu produto sem ficar em pior situação do que estava antes de produzi-lo (ou se preferir, sem tomar prejuízo naquela unidade). Não por acaso, isso é o mesmo que dizer que a curva de oferta reflete os custos de produção do bem ofertado.

A partir dessa ideia, podemos entender que a distância entre a curva de oferta (linhas azuis) até o preço de equilíbrio do mercado (linhas verdes) mede o quanto os vendedores conseguiram com a venda de sua produção, descontado o que gastaram para produzi-la (ou lucro por unidade, se preferir). Essa medida é chamada de excedente dos vendedores (EV) e é representada pelas áreas dos triângulos azuis nas figuras, servindo como parâmetro para definirmos o quão bem os vendedores estão em cada situação descrita.

Os excedentes dos vendedores apenas podem ser equiparados ao lucro por unidade, e não ao lucro total das empresas, pois esses dependem também dos custos fixos (como aluguéis de prédios, salários de diretores, etc.), que não são computados na curva de oferta.

Agora, se você é consumidor, tanto estará em melhor situação quanto menor for o valor que conseguir pagar por aquilo que deseja comprar. Assim, a curva de demanda (linhas vermelhas) reflete o valor máximo tolerado pelos consumidores para cada unidade adicional do produto do mercado analisado, e sua distância em relação ao preço de equilíbrio (linhas verdes), representam o quanto os consumidores deixaram de gastar para obter aquilo que queriam. E assim como no caso dos vendedores, as áreas dos triângulos vermelhos (EC) mensuram seus excedentes e estimam seu bem-estar (ou seus lucros de consumidor, se a analogia ajudar).

Como vocês já devem ter desconfiado, a soma dos triângulos EV e EC medirá os excedentes totais do mercado, bem como estimará o bem-estar por eles produzidos. Dito isso, vamos analisar os casos presentes nas figuras.

No caso 1 temos um certo mercado no qual é ofertado um certo bem de consumo. Na figura 1, temos uma condição inicial de oferta (Oi) e demanda (D) que forma um Preço (Pi) para comercializar uma quantidade Qi, produzindo os excedentes totais observados como a soma dos excedentes dos vendedores (EV) com os excedentes dos consumidores (EC).

Imaginemos agora que o preço de um determinado insumo utilizado na produção do bem comercializado nesse mercado tenha caído (por uma melhoria tecnológica no setor que o produz, por exemplo), isso reduzirá o custo de produção por unidade, provocando um choque positivo de oferta (ou seja, aumentando a quantidade ofertada a cada nível de preço dado) e levando o mercado para condição descrita na figura 2. Com a curva de oferta em uma nova posição (Of), um novo Preço de Equilíbrio (Pf) é formado, bem como uma nova quantidade (Qf). Os excedentes totais, EV + EC, aumentam — basta ver o crescimento da área dos triângulos.

O que ocorreu aqui foi que a queda no custo de produção colocou vendedores e consumidores em melhor situação. Eis o efeito de um choque positivo de oferta sobre um mercado. (Obs: A linha pontilhada preta representa a antiga curva de oferta e está aí apenas para facilitar a comparação).

No caso 2 temos um choque positivo de demanda, que ocorre quando a disposição dos consumidores a pagar por cada quantidade dada do produto aumenta, deslocando a curva de demanda para a direita (de Di para Df), formando um novo preço de equilíbrio (de Pi para Pf) e uma nova quantidade de equilíbrio (de Qi para Qf). Os excedentes totais (EC+EV) também aumentam, tal como no CASO 1.

Na verdade, o caso 2 foi colocado no exemplo apenas para demonstrar que tanto um choque positivo de oferta quando de demanda aumentam os excedentes totais de um mercado, bem como o bem-estar econômico por ele produzido. Como já é possível deduzir o que ocorre no caso 2 a partir do entendimento do caso 1, não explicaremos o caso 2 em detalhes. Em todo caso, se tiverem dúvidas, perguntem nos comentários que responderemos.

Essa foi uma explicação breve e resumida do que são os excedentes do mercado. Esperamos que o entendimento do leitor a respeito das relações econômicas tenha aumentado um pouco após ler esse texto.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não ficará público